Pão de banana e cacau | Receita biológica

O pão de banana é uma das minhas receitas-salvação (ou deverei dizer perdição?!) sempre que quero um lanche rápido, saudável e guloso. Ou então a melhor desculpa para não desperdiçar bananas demasiado maduras. Chamo-lhe pão de banana porque a textura assemelha-se mais à de um pão do que à de um bolo, mas é doce o suficiente para recriar o ambiente de gulodice que costuma bater à porta ao fim-de-semana.   Já aqui tinha feito uma outra versão e não querendo ser – nada! – parcial, esta é melhor.  A ideia de lhe juntar drops de cacau artesanal e biológico e imaginá-los a derreterem-se com o calor do forno é superlativa. Gosto, por isso, de ser generosa nesta parte. 🙂 Outra sugestão apetitosa: adicionar framboesas. A Catarina Trindade, nutricionista pediátrica – façam um gosto nesta página, por favor – validou a receita e ainda acrescentou um “parece uma delícia”. E é mesmo.  INGREDIENTES [a partir dos 12 meses] 140 ml de bebida de aveia (usei Oatly) 125 g de açúcar demerara biológico + extra para polvilhar 2 ovos biológicos 1 colher de chá de aroma de baunilha 3 bananas maduras biológicas, esmagadas 80 g de farelo de aveia biológico Próvida 220 g de farinha,...

Continuar a ler

Bolachas de aveia e alperce | Receita biológica para crianças

Se é verdade que não tenho muito tempo para fazer bolachas, também é verdade que não teria paciência para isso. Pelo menos, numa base semanal. O facto de já existirem inúmeras opções relativamente saudáveis à venda no supermercado – sobretudo no espaço Bio & Natural do El Corte Inglés – ajuda muito quem se preocupa em comer ou oferecer aos filhos bons ingredientes. Importa, acima de tudo, saber ler os rótulos e interpretar a informação. Regra geral, os produtos embalados não são benéficos para a nossa saúde, embora não venha mal algum ao mundo se os consumirmos pontualmente.  Cá em casa, costumamos ter tostas de quinoa da Pain de Fleurs (que a Camila adora!) ou tortilhas de milho, sem açúcar e sem sal. E faço as minhas próprias bolachas, de vez em quando, sem complicar. A sugestão de hoje tem apenas cinco ingredientes. Foi validada pela nossa nutricionista favorita, a Catarina Trindade, e, por sinal, é feriado.  Não preciso de dizer mais nada, pois não? 🙂 INGREDIENTES [para 12-14 bolachas, a partir dos 12 meses] 100 g de flocos de aveia finos Nature Foods 30 g de amêndoas biológicas sem pele 4 alperces secos biológicos Pró Vida 2 bananas biológicas,,...

Continuar a ler

Papa de cereja e aveia | receita biológica para bebés

Há dias, em conversa com a Catarina Trindade (nutricionista pediátrica de quem já muito vos falei), comentávamos a inexistência de cereais saudáveis para o pequeno-almoço dos miúdos. Isto advinha do facto de que a Camila, do alto dos seus 15 meses e muito exercício nas pernas gordinhas, já não se contenta apenas com o leite. As fórmulas lácteas que as marcas oferecem desde os quatro meses têm uma concentração absurda de açúcar. E quando avançamos um pouco na idade e escrutinamos, por exemplo, o rótulo de uma papa Nestum o cenário não muda. Os ingredientes em maior quantidade, logo depois da farinha de trigo, são a sacarose e o mel. Dois tipos de açúcares. (…) Imagino que muitas mães e pais tenham este preocupação, a de não encontrarem opções rápidas e nutritivas no supermercado para o pequeno-almoço das crias. E é por isso que hoje, especialmente por ser o Dia Mundial da Criança, trago uma sugestão para tornar as manhãs ou os lanches mais saudáveis. A papa com cereja é a minha favorita, mas, precisamente porque é bom variar e porque elas acabam (ohhhh), há uma miríade de combinações possíveis, sendo que prefiro usar a fruta fresca para não perder as propriedades.,...

Continuar a ler

Muffins de maçã e aveia [receita biológica para crianças]

Quando crio receitas doces para miúdos (bolos, muffins, bolachas) gosto de lhes associar uma fruta de modo a que me permita cortar nas quantidades de açúcar. E se é verdade que há bolos que se conseguem fazer (comer) sem qualquer adição de açúcar, outros há que perderiam muito se não o acrescentássemos.  Vamos a alguns pontos positivos de confeccionarmos doces em casa: – Sabemos exactamente aquilo que estamos a comer; – Podemos variar os ingredientes e escolher substitutos mais saudáveis e isentos de químicos; – A adição de açúcar fica ao nosso critério (um queque comprado numa pastelaria tem cerca 300 kcal e 20 gramas de açúcar por unidade. A propósito: recomendo-vos vivamente que vejam o site sinazucar.org. É bastante elucidativo em relação às quantidades de açúcar escondidas nos alimentos, mesmo daqueles aparentemente inofensivos como o iogurte “O Meu Primeiro Danone” ou as bolachas Maria); – Não têm conservantes, corantes, nem aromas artificiais. Estes muffins são uma proposta completa e nutritiva para o lanche das crianças – mas, como qualquer “guloseima”, não o são numa base diária. Tem aproximadamente 104 kcal e 5 gramas de açúcar por unidade. Usei farinha de espelta que, ao contrário do que algumas pessoas pensam, contém glúten, é,...

Continuar a ler

As mais cremosas papas de aveia (com coco e ameixa)

Vocês que já me vão conhecendo razoavelmente sabem da minha predilecção por pequenos-almoços. Quando comecei com a série do “Breakfast is served” [o pequeno-almoço está na mesa], no Instagram, não sabia bem no que me estava a meter. Começou como um divertimento e acabou num caso sério. Uma patologia obsessiva, diria. É que enquanto não explorar todo o tipo de fruta e cereais (pães, croissants, bolos, flocos), objectos e plantas vai haver sempre uma fotografia por tirar. Ou seja: o problema está diagnosticado, mas não se vislumbra tratamento. Aliás, só se agudiza: a minha família e amigos fazem questão de aparecer cá em casa com os mais variados alimentos e objectos. O meu irmão e a namorada este fim-de-semana tocaram à campainha com um saco cheio de tralha. – “Já viste como isto vai ficar tão bem no teu pequeno-almoço?” – perguntava ele. Uma parte de mim pensou imediatamente na falta de espaço para armazenar tudo aquilo e outra já fazia o styling do que ia mesmo bem com aquele prato azul ou com o moinho de café velhinho e pitoresco. Agora o motivo da vossa visita: Reinventar papas de aveia é um clássico na minha vida, tanto que já perdi a conta às,...

Continuar a ler