Out And About #2 – Casa de Pasto da Palmeira

A Casa de Pasto da Palmeira não deve nada à nomenclatura, não vão ao engano. O nome manteve-se da tasquinha que ali existiu, mas hoje não é, de todo, uma casa de pasto típica portuguesa, antes um pequeno restaurante onde se servem pratinhos e petiscos de autor. É, possivelmente, o meu sítio preferido no Porto. De todas as vezes que ali almocei ou jantei (e já foram muitas), nunca comi nada que não gostasse. A cozinha está sob a batuta do chef João Pupo Lameiras, um jovem de 20 e poucos anos que vem acumulando experiência nos vários restaurantes do grupo. A  decoração (da sala interior) é propositada e moderadamente kitsch e louça é toda desemparelhada. Por norma, a menos que esteja um tempo pouco convidativo ou não haja mesa, sentamo-nos na esplanada, com vista privilegiada para a Afurada. A ementa é um pequeno livro que se renova todos os meses, onde os clássicos não perdem o lugar. É o caso dos famosos queques de alheira, dos rolos de frango fumado ou do bolo de chocolate da Sandra.  Já o atum e o cevadotto, por exemplo, vão tendo múltiplas interpretações de acordo com o mês e os legumes da época:,...

Continuar a ler

Out and About #1 Brick Clérigos

Comer em casa é óptimo por todos os motivos, mas fazê-lo fora (de vez em quando e se possível) também. É, além do mais, uma forma de mantermos um contacto intimista com a própria cidade. Começamos, assim, uma rubrica aqui no Sweet Bigas: a Out and About, com sugestões imperdíveis de sítios (novos, recentes, clássicos e até velhinhos) para deixarem o vosso fogão sossegado. Esta semana, experimentámos o Brick. Não é novo (abriu em Setembro de 2014, junto à Igreja dos Clérigos) e também não é exactamente um restaurante, antes uma casa de tábuas/refeições rápidas.A decoração é harmoniosa, bonita e coerente, com a madeira de cor clara e ar rústico a dominar toda a sala (fez-me até lembrar os programas de culinária do Jamie Oliver). O espaço de refeição preenche-se com uma mesa comunitária, grande e larga o suficiente para sentar 12 pessoas em banquinhos. Há, além dessa, uma outra mais pequena (onde nos sentámos), junto à janela. Na carta, poucas opções (apenas tábuas, saladas, tostas ou wraps), mas todas muito recomendáveis. Pedimos a salada de peixe (€12,5), que chegou com doses generosas de gambas frescas e salmão fumado, maçã, sementes de sésamo e tiras de abacaxi, e uma tosta de,...

Continuar a ler