Leite dourado ~ Golden Milk | Receita Biológica

O leite dourado é a mais recente coqueluche entre os adeptos do fitness. E é um daqueles casos raros 10 para 1: no meio de tanta estupidez, alguém teve uma boa ideia. Isto dito assim, sem tom de voz, pode soar agressivo, mas é a mais crua realidade: a parafernália de dietas ou combinações que surgem dia sim dia não são quase todas um engodo, não são adequadas para o comum dos mortais, e só aumentam a desinformação. Mas o leite dourado é, como dizia, uma óptima excepção. A junção de especiarias torna-o num poderoso termogénico (ideal para a queima de gordura), antioxidante e anti-inflamatório, além de ajudar a fortalecer o sistema imunitário, nomeadamente prevenindo constipações. Como se isto não bastasse, é delicioso – e eu era especialmente céptica neste aspecto, até o experimentar. Até aqui, passava as minhas noites com a fiel companhia do chá, entre mantas, livros ou Netflix. Desde que fiz leite dourado, o chá deixou de ser o meu único sinónimo de bebida de conforto saudável. É rápido de fazer e não me acrescenta gramas desnecessários à balança. Pelo contrário, ajuda-me a eliminar os excessos e a dormir melhor. Neste caso em particular, sugiro que, sempre que,...

Continuar a ler

Salada verde de dióspiro e romã

Aproveitamos as frutas da época, que estão no seu auge, e preparamos uma refeição rápida, que serve como entrada ou prato principal (ao qual podemos acrescentar queijo e, eventualmente, uma proteína). Espera-se um jogo de sabores harmonioso entre as frutas doces, a noz crocante, os verdes tenros e frescos. Saciante, colorida e veloz numa analogia a estes dias de Inverno com sol, de luz mansa e aquilina, onde a preguiça se arrasta para lá da hora.   INGREDIENTES[2 a 3 pessoas] 1 mão cheia de mistura de alfaces (verde, roxa, rúcula e canónigos)1 dióspiroMeia romãSal fino q.b.Vinagre balsâmico q.b.Miolo de noz, a gosto PREPARAÇÃO Começamos pela fruta: descascamos o dióspiro e cortamos em rodelas de cerca de 0,5 cm. Extraímos os bagos da romã e reservamos. Dispomos no fundo de um prato côncavo as alfaces, previamente lavadas e bem secas. De seguida, sobrepomos o dióspiro, os bagos de romã e os temperos. Finalizamos com o miolo de noz. Nota: para uma salada mais completa e para os apreciadores, podemos juntar burrata. O Sweet Bigas também está no Facebook Instagram

Continuar a ler

Bifes de peru recheados com queijo de cabra e pêra

O peru é uma ave particularmente desconsiderada em Portugal. Não porque se coma pouco ou porque se cozinhe mal, não.  O pobre do bicho tem um problema com a Língua Portuguesa – a que se diz e a que se escreve – desde que nasce até que se fina.  No talho, perguntam-me se quero “bife ou peito de piru” e na montra já havia lido “perú” em letras garrafais e sonantes. Os meus olhos começam a tremer com estas coisas. – “Quatro bifes, por favor”.  [Com “e” e sem acento, pensei para com os meus botões, que já não apertam]. INGREDIENTES[4 pessoas] 4 bifes de peru finosSal e pimenta preta q.b.Alho em pó q.b.Sumo de 1 limão8 fatias de pêra4 fatias de queijo de cabra Folhas de manjericão, a gosto1 fio generoso de azeite PREPARAÇÃO Pré-aquecemos o forno a 200º C. Temperamos os bifes com o sal, a pimenta, o alho e o sumo do limão. Descascamos a pêra, removemos o coração e cortamos em lâminas finas. Na ponta mais estreita de cada bife colocamos a pêra (duas fatias por cada bife), o queijo (1 fatia) e uma folha ou duas de manjericão. Enrolamos e atamos com um cordel próprio de,...

Continuar a ler

Kanelbullar [bolinhos de cardamomo e canela]

Esta sugestão nórdica viajou até ao blogue para aquecer o nosso estômago: o “Kanelbullar” (que significa, em português, bolo de canela) é um bolinho tradicional da Suécia, leve, fofo e delicado. Ficou demasiado tempo na fila de check-in à espera que eu me compadecesse e o resgatasse do frio escandinavo – e essa é precisamente a única coisa que lamento.  Claro que lhe conferi um toque pessoal, nomeadamente ao substituir alguns ingredientes por outros alternativos, mais saudáveis. Em boa verdade, acho que nunca reproduzi uma receita ipsis verbis. Mas sobre isso já não há motivo para arrependimentos.     INGREDIENTES [14 a 15 bolinhos] Para a massa 400 g farinha Nacional super fina sem fermento50 g de farinha integral Nacional (ou de aveia)1 saqueta fermento seco de padeiro (cerca de 4,3 g)4 colheres de sopa açúcar1 pitada sal fino1 colher de chá cardamomo em pó1 colher de café de canela em pó75 g manteiga magra sem sal 250 ml bebida de aveia (ou leite magro) Para o recheio 50 g manteiga magra sem sal, à temperatura ambiente85 g açúcar amarelo2 colheres de chá cardamomo em pó1 colher chá canela em pó Para a cobertura 1 ovo batido PREPARAÇÃO Num pequeno tacho,,...

Continuar a ler

Aletria de ovos – Especial P3

Começou Dezembro e as regras mudaram: deixamos os quatro ingredientes e propusemo-nos a fazer, até ao final do ano, receitas festivas para a nossa rubrica semanal no P3. As que vemos nas mesas de Natal e aquelas pelas quais suspiramos todo o ano. Não serão, no entanto, sugestões exclusivamente doces (há todo um mundo para além das rabanadas), mas é bem possível que o nível de açúcar no sangue aumente nos dias que se seguem. Mas por esta aletria ultra-cremosa, vale bem a pena um eventual sentimento de culpa.   Do que precisas: 500 ml de leite1l de água7 colheres de sopa de açúcar1 pau de canela3 cascas de limão (sem a parte branca)1 pitada de sal4 meadas de massa de aletria Milaneza6 gemascanela em pó, a gosto Vamos a isto: Num tacho junta o leite, a água, o açúcar, o pau de canela, as cascas do limão e o sal e mexe até dissolver o açúcar. Assim que ferver, retira o pau de canela e as cascas do limão. Verifica se está doce o suficiente e coloca as meadas de massa a cozer cerca de 15 minutos. Numa taça à parte, bate as gemas com uma vara de arames. Desliga,...

Continuar a ler